E a internet arruina mais uma vida



2011-07-01

Este último dia 28 estava sendo, até então, uma terça feira pacata no tuíter.
Até que chega ao meu conhecimento (e do meu companheiro @morroida, que mija sentado mas tem bom coração) o inusitado fato de que havia entre os diretórios de um site do governo da Bahia uma cacetada de pornografia e mp3s piratas. Veja o screenshot:


 Eu e o Morróida passamos a coisa pros nossos followers, que passaram pros seus followers, que passaram adiante mais ainda. Em poucas horas o site (e seu responsável e provável uploader da putaria, Luiz Carlos Batista de Cerqueira) se tornaram famosos no twitter. O colega @Thiago__Caetano soltou esta imagem, no estilo dos desenhos rage face que se tornaram meme onipresente na interntet. “EHNOIS” virou bordão.
(Pra quem não acompanhou o evento: EHNOIS é uma referência ao arquivo eh-nois.png, que mostrava o rapaz abraçado com alguém que deveria se tratar de sua namorada. Havia no diretório uma foto da namorada dele sem roupa, o que acabou solidificando a impressão de que o responsável pelo diretório foi quem jogou todo o material lá. Quem mais teria acesso a uma foto da mina dele pelada?)

Matéria do IDGNow
Matéria do Terra
Matéria da Veja

Manos, essa porra até saiu num jornal lá na Bahia — junto com uma tirinha tosca que eu desenhei no celular em 50 segundos e joguei na web.

Pois bem. Agora a história (não corroborada pela empresa que hospeda o site) é que o sujeito é inocente e que hackers invadiram o servidor pra incriminar o sujeito.

Contudo, o rapaz não falou a Antonio sobre o nome ou qualquer identificação do hacker, nem sobre o motivo de ser o alvo escolhido ou se ele teria algum inimigo virtual. “Meu filho participa de muitas comunidades e faz muitos sites. Pode ser por causa do sucesso dele”, apostou.
Sim, o cara que tinha 100 seguidores no twitter e que ninguém conhecia é uma história de tamanho sucesso internético que provoca inveja capaz de motivar atividades criminosas. É tudo um grande criminal masterplan pra fazer o cara perder o emprego.
É extremamente cara de pau essa desculpa. Além disso, me dá um certo desconforto imaginar que, graças aos ataques hackers a sites do governo nas últimas semanas, há alguma chance de nego engolir essa lorota.
Ignore o fato de que as várias screenshots que tiraram da pasta (como essa aqui) mostram que os arquivos de putaria foram uploadeados pro servidor há meses. O hacker teve o plano genial de invadir o site, abrir aquele diretório a acesso público — tá no cachê do google ainda –, subir vários vídeos de putaria, e então esperar MESES até finalmente soltar a coisa na internet — correndo o risco de ter a invasão detectada, os arquivos deletados e o diretório protegido por senha…?
É nisso que querem que acreditemos? A outra “defesa” do cara é que como ele é cristão, seria incapaz de fazer tal coisa. Tá bom.

Sabe, quando sairam notícias dizendo de que o crime do rapaz poderia resultar em pena de 9 anos de xilindró, me senti meio culpado com a situação toda. O cara fez merda, mas o vexame público e a perda de um emprego bacana já é punição o bastante, pensei. Ir parar na cadeia por causa dessa confusão seria uma desgraça não só pro pobre Luiz Carlos, mas pra sua família e pra namorada do cara também.
E querendo ou não, tive um dedo na situação. Eu fui um dos que divulgou a parada e portanto compartilho parcialmente a culpa do que aconteceu com o Luis Carlos (os outros 99% da culpa são exclusividade dele próprio, que fez a merda).

Pois é, eu estava reavaliando minha participação na história… até o momento em que vi que o cara tá negando envolvimento. “Foram hackers”, diz o pai do maluco — apesar do fato de que a empresa que hospeda o site já determinou que não foi o caso.

Agora eu quero mais é que ele se foda mesmo. Não ter hombridade pra assumir uma cagada é algo digno de pena.
Postar um comentário